Psicodélico: O YAGÉ ENTRE OS GNÓSTICOS

sexta-feira, 4 de março de 2011

O YAGÉ ENTRE OS GNÓSTICOS


yagé_entre_os_gnósticospor: LUIS PEREIRA

O texto abaixo foi postado em diversas partes no fórum de um conhecido site gnóstico da linha de Samael Aun Weor e posteriormente foi eliminado. Agora fazemos uma revisão e incluimos aqui para o conhecimento de todos:

--------------------------------

Queridos Amigos(as),

Para quem não me conhece meu nome é Luis Pereira e sou o responsável pelo Associação Beneficente Intercultural Universo Místico, onde fazemos uso da bebida Yagé (Ayahuasca) comentada pelo Mestre Samael em alguns de seus livros.

Quando me informaram da existência deste tópico aqui neste fórum eu passei a acompanhar os comentários, no entando não tinha intenções de me manifestar e/ou interferir, infelizmente tenho visto (lido) alguns comentários com tom de brincadeira, outros com total desconhecimento do assunto, e também alguns bem interessantes e de gente bem intencionada que procura sinceramente o despertar da consciência, por isso resolvi também dar minha participação, e esclareço desde já que não tenho intenções de convencer ninguém de coisa alguma, todos somos livres para fazer nossas escolhas pessoais.

Eu conheço e faço uso do Yagé desde 1983, cheguei a morar em Rondônia e estive muitas vezes na floresta Amazônica. Conheço diversos grupos que fazem uso deste chá misterioso e tive inúmeros benefícios. Isso me trouxe alguma experiência, tanto no feitio do Yagé quando na condução de vivências com ele, no entanto isso não faz de mim um Mestre ou um Iluminado, sou apenas mais um buscador, com minhas debilidades e defeitos, buscando também o despertar da consciência e o aprimoramento das qualidade do Ser. No máximo digamos que eu seja um amigo que poderá lhe acompanhar caso resolva passar pela experiência.

Explico isso para que fique claro que o caminho da Auto-Realização Íntima do Ser é a Sagrada Gnosis, bem vivida, intensamente, com disciplina e austeridade. Não é o Yagé que vai te auto-realizar, nem Mestre algum o fará por você. Cada um deverá criar seu próprio caminho ao caminhar. Eu sempre tenho dito e explicado para as pessoas que o Yagé abre as portas, mas é você mesmo que tem que passar por ela, seria o mesmo que dizer que o Yagé te mostra o que deve ser feito, o que deve ser corrigido, e ainda por cima te carrega de energia volitiva para fazer o que deve ser feito, mas infelizmente muitos ainda não compreenderam que devem aproveitar o impulso e trabalhar sobre sí para alcançar mudanças permanentes.

O Yagé é uma planta Sagrada que merece muito respeito, muito mais do que vocês podem imaginar, só quem já passou por uma forte experiência sabe do que estou falando. Muitos buscam experiências místicas, buscam sair em Astral, querem despertar poderes, chacras, etc. Mas quando os véus começam a se abrir, quando a Matrix se revela tal como é, nua e crua, não tem prá ninguém. Já vi muitos machões chorarem como criancinhas quando o "poder" se apresenta. É por isso que recomendamos ao menos uma experiência bem vivida para todos que buscam o caminho espiritual, pois assim poderão ter um vislumbre do que é o Astral, como funciona o Mental, quais as energias sutis e maravilhosas que agem no Plano Causal, onde nem bem se pensa em fazer uma pergunta e a resposta já se apresenta na consciência.

Existem infinitas possibilidades de experiências diferentes com o Yagé, e posso afirmar que sair em Astral não é nada perto das maravilhas que podem ser alcançadas. Mergulhar em seu próprio Universo Interior, conhecer a sí mesmo profundamente, ver frente a frente suas debilidades, compreender seu funcionamento, as artimanhas do ego, os mecanismos ocultos por detrás de um hábito, são tantas possibilidades que eu poderia escrever um livro inteiro, mas ainda assim seriam palavras... quem não experimentar não saberá o que é....

Para não me estender muito fico por aqui, caso haja interesse poderei continuar explicando mais algumas coisas, caso contrário me retiro respeitosamente.

Um agraço a todos.
Paz Inverencial
Luis Pereira

Esclarecimentos adicionais: Respeitamos os ensinamentos gnósticos de Samael Aun Weor e dele tiramos muito proveito, no entanto que fique claro que não somos um grupo gnóstico no sentido institucional do termo, nem seguimos sua doutrina ou práticas estabelecidas por considerarmos que uma boa parte de suas interpretações estão equivocadas.

(abaixo algumas perguntas que foram postadas no fórum)

PERGUNTA 1:
O motivo de se tomar o chá para se buscar experiências no astral não é questionável, já que com isso algumas etapas de desenvolvimento e luta interna são queimadas???

RESPOSTA:
Cada pessoa é um Universo, com suas próprias características íntimas e individuais. Obviamente que este Universo Interior se encontra em total estado de Caos, sendo o trabalho sobre sí um processo de se colocar Ordem e Harmonia onde hoje se encontra o Caos. Para isso existem muitos meios e veículos, e o ensinamento Gnóstico por sí mesmo contém todas as chaves necessárias para colocar ordem em nosso Universo, no entanto este Caos pode ser entendido como se estivéssemos em uma UTI Cósmica, onde todo o necessário pode e deve ser utilizado para salvar a vida, ou em nosso caso, salvar nossas almas. Seria louvável que um estudande pudesse trilhar o caminho e salvar sua alma por seus próprios méritos e disciplina, infelizmente, e os fatos demonstram, que as dificuldades são tremendas e tornam quase impossível o caminho solitário (ainda que o caminho assim o seja), por isso considero válido algumas intervenções tipo 'tarja preta' para retirar-nos desta UTI. Estas intervenções são necessárias pois para um paciênte na UTI não vamos receitar aspirina e vitamina C, sendo necessário as vezes até uma intervenção cirúrgica. Neste contexto é que recomendo o uso do Yagé como um método de intervenção drástica para sacudir-nos momentaneamente e nos colocar de volta ao caminho. Obviamente que isto é questionável, e qualquer decisão de se usar ou não este veículo é muito íntimo e pessoal, podendo ser muito útil para alguns e não servir de nada para outros, apesar de ser difícil alguem passar pela experiência sem profundos descobrimentos. Devemos também considerar outros métodos de intervenção, que por sua vez, também são válidos e não se deve considerar como 'queimar' um etapa, e sim como 'uma etapa' necessária e que fará parte da história deste Universo Interior que esta se transformando e saindo do Caos. Exemplos de outros métodos: Jejuns, Meditação, Danças, Mantrans, Respiração, Isolamento, etc.

PERGUNTA 2:
Não existe o risco de se ficar prisioneiro dessas experiências???

RESPOSTA:
Existem dois aspectos a serem considerados:

a. No primeiro caso vamos analisar a dependência psicológica que pode existir nos casos em que a pessoa se entrega a experiência em sí mesma, sem aproveitar para o trabalho sobre sí. Isto esta muito claro, seria o mesmo que a pessoa ficar encantada com o ensinamento teórico do Mestre Samael e não praticar em sua própria vida. Isso acontece muitíssimo. Então isso é de cada um, podemos ficar presos a experiência com o Yagé, se essa é nossa tendência pessoal, quem já possui esta característica com certeza poderá se encantar com as visões, com as músicas, com os sentimentos em sí e não avançar no mais importante, mas isso só irá acontecer com quem já traz esta tendência, tipo aquelas pessoas que ficam borboleteando entre muitas escolas, lendo toneladas de livros e nunca se colocam a praticar com disciplina e austeridade. Portanto se isto acontecer não é culpa do Yagé e sim da própria pessoa.

b. O segundo caso a ser considerado é se alguma pessoa poderia ficar prisioneiro como uma dependência física, tal como um cigarro, bebida, uma droga ou até um hábito. Neste caso posso afirmar com absoluta segurança de que não há este risco, pois além de conhecer centenas de pessoas que fazem uso do Yagé, e saber de suas histórias pessoais, posso dizer também por mim que em 25 anos de uso já passei por diversos momentos de pausa, ou seja, fiquei por longos períodos sem o utilizar e com isso pude perceber de forma bastante clara que não há dependência física ou crise de abstinência.

PERGUNTA 3:
Pessoas muito densas, sem estar praticando castidade, não correm risco com a utilização do chá???

RESPOSTA:
Não existe este risco pois o Yagé irá trabalhar no Universo Interior de cada um de acordo com sua própria experiência, necessidade e capacidade. Para isso também o acompanhamento de um guia é essencial. Podemos dizer que cada pessoa recebe uma lição de acordo com seu entendimento. Pessoas comuns e que não possuem nenhum conhecimento espiritual ou gnóstico irão se beneficiar de acordo com suas buscas, por exemplo: um pai de familia comum e corrente pode receber valiosos ensinamentos relacionado à sua conduta como marido e com sua responsabilidade no trabalho, etc. Outra pessoa que tenha interesses artisticos por exemplo pode receber ensinamentos relacionados a Arte, a Musica, etc., tornando-se assim uma pessoa melhor através da expressão artística. Conheço um caso de um rapaz que trouxe um trauma terrível, provavelmente de outra vida, ele nunca havia dado uma risada na vida, nada para ele tinha graça, ele simplesmente não entendia uma piada ou uma brincadeira, era sério, triste, melancólico, etc. Na primeira vez que ele bebeu o Yagé ele se viu numa tribo de índios, tipo os antigos Incas, estavam em uma festa, ele estava dançando alegremente com crianças, tudo muito bonito e festivo, a partir daí ele começou a rir e sua vida mudou completamente, até sua saúde melhorou consideralvemente, sem contar a vida social, no trabalho, na familia, etc. Por isso o Yagé não deve ser entendido apenas como um meio de busca estritamente espiritual e sim como uma medicina da alma, uma terapia, curando aquilo que no momento necessita ser curado. Posteriormente essas pessoas até poderiam ser orientadas para se iniciar no caminho sagrado, mas isso é caso a caso. Já pararam para pensar que fazer caridade é apenas fazer o bem a outros, será que o bem que este rapaz recebeu em sua vida tem menos valor que um ensino gnóstico, é um bom tema a ser refletido, pois consideramos que fazer o terceiro fator é fazer o bem no que a pessoa necessita, se um mendigo tem fome não adianta a gente querer ensinar gnose prá ele, se um cego necessita ajuda para atravessar uma rua não adiante tentar mostrar prá ele o que é o Karma.... etc...

PERGUNTA 4:
Não seria recomendável somente pessoas que já tivessem um trabalho interno sólido tomar esse chá???

RESPOSTA:
Esta questão já foi esclarecida na resposta acima...

PERGUNTA 5:
Como o nível de consciência das pessoas atualmente é tão baixo, inclusive o meu, como saber se a experiência é boa ou é má???

RESPOSTA:
Primeiro que tudo confiar em teu próprio discernimento para saber se quer ou não passar pela experiência, em segundo lugar procurar uma pessoa de confiança (um guia) para lhe acompanhar na experiência, em terceiro lugar a própria experiência em sí irá lhe ampliar o nível de consciência, este é o objetivo da experiência, portanto se tivéssemos com um bom nível de consciência não seria necessário o uso do Yagé.

PERGUNTA 6:
Por que até hoje nenhum grupo gnóstico, pelo que eu saiba, nunca utilizou esse chá??? Qual seria o motivo, apenas o preconceito???

RESPOSTA:
Apesar do Mestre Samael ter feito comentários em alguns de seus livros, o uso do Yagé nunca foi uma prática gnóstica oficial, sem contar o fato de que é muito difícil encontrar o Yagé, ainda mais no México, onde o Mestre vivia e também em outros países. Aproveito também para esclarecer que nosso grupo não é uma instituição gnóstica e não fazemos o uso do Yagé junto com rituais gnósticos. As práticas não devem ser misturadas desta forma, no máximo usamos as vivências para ensinar algumas práticas tipo mantrans, runas, lamaseria, pranayama, etc. porque assim pode-se comprender melhor e sentir intensamente os benefícios das práticas, mas após isso deve-se continuar praticando sem o uso do Yagé. Outro fato a ser considerado também é o que você cita como preconceito, ou ainda o medo.

PERGUNTA 7:
Sempre quando tomamos este chá, obrigatóriamente, teremos qualquer tipo de experiência??? É possível tomá-lo e não acontecer nada???

PERGUNTA 8:
Para esclarecer definitivamente, quais são os perigos de se tomar esse chá sem uma supervisão responsável de uma pessoa com experiência na utilização do yagé??? Acredito que tomar esse chá por conta própria seja um grande erro, estou correto???

RESPOSTAS:
Responderei as duas perguntas de uma só vez pois estão interligadas:

Se for um Yagé de boa qualidade obrigatoriamente haverá uma experiência, apesar de que existem pessoas que resistem e com isso pode ocorrer o que chamamos de pêia, ou seja, poderá haver um sofrimento, mal estar, enjôos, vômitos, diarréia, etc. É comum ocorrer o vômito e/ou a diarréia, pois o Yagé possui este efeito purgativo que tem por objetivo realizar uma limpeza do organismo, não só físico mas energético, anímico, no entanto isto não é obrigatório e mesmo que aconteça não necessariamente deverá ser acompanhado de sofrimento. Normalmente ocorre quando a pessoa cria resistência ou tenta lutar contra a força, por isso é tão importante o acompanhamento de um guia com experiência. Pode acontecer também da pessoa estar sob o efeito forte do Yagé e não reconhecer (ou se recusar a reconhecer) a força ou a luz da consciência, neste caso a orientação de um guia é essencial pois se a pessoa estiver sozinha pode querer beber mais.

O uso do Yagé é legítimo e recomendável como veículo de descobrimento e aprimoramento espiritual, então sempre recomendamos que seja utilizado em rituais apropriados onde um dirigente com experiência poderá acompanhar todo o processo. É claro que após alguns tempo de uso a pessoa vai aprendendo muitas coisas e poderá fazer uso solitário, sempre para fins espirituais, no entando falo por experiência que em grupo as experiências sempre são melhores e mais intensas.

Digamos que uma pessoa nunca bebeu e consiga uma garrafa... ela vai beber que quantidade? Onde vai estar? Que musicas vai ouvir? E se o telefone tocar? Puxa, existem tantas variações e tantos imprevistos.... O Yagé vai te abrir os sentidos, vai expandir tua consciência, você ficará super-sensibilizado e poderá se assustar com algumas coisas, não que o efeito seja ruim, é que sem orientação coisas bem comuns poderão se tornar uma montanha que você não conseguirá remover do caminho. Uma pessoa que nunca bebeu necessáriamente deverá ter sua primeira experiência com um orientador ou em um grupo, isso é básico, realmente poderia não acontecer nada de ruim, mas nunca se sabe, então devemos ter todo cuidado com isso.

O xamanismo assim como a magia trabalha com forças poderosas da natureza, mexer com essas forças sem conhecimento é perigoso, mesmo nas práticas gnósticas existem perigos, vou dar um exemplo: Conheci um rapaz que se encantou com os mantrans, fazia 1 hora de mantrans de madrugada, depois aumentou para 2 horas, depois para 3 horas.... Mas ele só fazia isso, não se preocupou com outras práticas, etc, o que ele queria era despertar poderes, despertar os chacras.... então começaram os problemas, alguns chacras começaram a abrir, ele sentia coisas estranhas, tinha medos, arrepios, sentia o sofrimento das pessoas, sentia a falsidade das pessoas, ficou em parafuso, não sei o final da história, mas me parece que acabou virando crente prá fechar isso que ele tinha aberto de forma desequilibrada.

O que um guia faz nestas experiências?? Basicamente ele procura manter o equilibrio e direcionar a força da experiência, seja através de musicas especiais e chamadas (invocações cantadas), além de outros métodos apropriados para cada momento e cada situação. Em uma situação de muita força o guia pode orientar, pode cantar uma chamada especial que vai dar mais harmonia, mais segurança, etc. Poderá colocar uma musica que por ter um ritmo apropriado poderá intensificar ou acalmar a experiência, poderá usar uma musica com uma mensagem devocional apropriada para o momento, etc. Isto é uma arte e se necessita muitos anos para saber o que fazer em cada momento.

Então meus amigos o caminho do equilibrio e do bom senso é o melhor a ser seguido. Nada de se lançar a experiências com o Yagé sozinho, acho muito difícil que algum grupo aceite dar o Yagé desta forma, mas nunca se sabe. Então fica o aviso, se quiserem nosso grupo esta a disposição para lhes servir, mas existem outras opções, como a UDV ou o Santo Daime, ou ainda outros grupos independentes na linha Xamãnica, lembrando é claro que somente nos responsabilizamos por nosso trabalho e em outros grupos você estará por sua conta e sob a orientação de uma doutrina própria que pode não ter nenhuma relação com os ensinamentos gnósticos. Todos os grupos que trabalham com o Yagé merecem nosso respeito e consideração, mas já aconteceu muitos casos de pessoas virem em nossas vivências e depois irem a outros trabalhos pensando que é igual. Fiquem avisados...

Grato por servir.
Luis Pereira

Nenhum comentário: