Psicodélico: Maio 2012

segunda-feira, 28 de maio de 2012

Posse de Droga para Consumo Próprio!

 
Em Plenário Virtual, o Supremo Tribunal Federal (STF) reconheceu que a questão da posse de drogas para consumo próprio é tema de repercussão geral. A discussão tem sido travada no Recurso Extraordinário (RE) 635659, de relatoria do ministro Gilmar Mendes, que associa o artigo 28 da Lei de Tóxicos (Lei 11.343/2006) ao inciso X do artigo 5º da Constituição Federal, o qual assegura o direito à intimidade e à vida privada.

O caso foi levado ao Judiciário pela Defensoria Pública de São Paulo, que questionou a constitucionalidade do dispositivo da Lei 11.343/2006 que classifica como crime o porte de droga para consumo pessoal. O órgão argumenta que tal dispositivo contraria o princípio da intimidade e vida provada, uma vez que a conduta de ter consigo entorpecentes para uso próprio não implica lesividade, ou seja, não causa lesão a bens jurídicos alheios, princípio básico do Direito Penal.

O Recurso Extraordinário questiona acórdão do Colégio Recursal do Juizado Especial Cível de Diadema (SP) que, com base na Lei de Tóxicos, manteve a condenação de um usuário à pena de dois meses de prestação de serviços à comunidade. A Defensoria Pública justifica sua posição argumentando que “o porte de drogas para uso próprio não afronta a chamada ‘saúde pública’ (objeto jurídico do delito de tráfico de drogas), mas apenas, e quando muito, a saúde pessoal do próprio usuário”.

O ministro Gilmar Mendes, ao manifestar-se pela repercussão geral da matéria, destacou a relevância jurídica e social do tema. “Trata-se de discussão que alcança, certamente, grande número de interessados, sendo necessária a manifestação desta Corte para a pacificação da matéria”.

Fonte: Supremo Tribunal Federal

Novo livro do Eduardo Galeano questiona guerra às drogas !

Mais do que escritor e jornalista, o uruguaio Eduardo Galeano já se converteu em um ícone do pensamento de esquerda latino-americano. No lançamento de seu novo livro, Los hijos de los dias (Os filhos dos dias), por exemplo, nada menos do que 2500 pessoas encararam horas de fila para vê-lo lendo trechos da nova obra, em Buenos Aires.
E é deste livro que retiramos dois trechos como dicas desta semana. O livro é composto de 365 pequenos textos, que versam sobre importantes questões políticas e históricas, sobretudo relativas ao nosso continente. Se falamos sobre isso, a guerra às drogas não poderia ficar de fora – confira as palavras de Galeano, em tradução livre do Coletivo DAR, uma vez que o livro ainda – e infelizmente – não tem versão em português.
***
26 de Outubro
Guerra a favor das drogas
Depois de vinte de balas de canhão e milhares e milhares de chineses mortos, cantou vitória a rainha Vitória: a China, que proibia as drogas, abriu suas portas para o ópio que os mercadores ingleses vendiam.
Enquanto ardiam os palácios imperiais, o príncipe Gong assinou a rendição, em 1860.
Foi um triunfo da liberdade: a liberdade de comércio.
27 de Outubro 
Guerra contra as drogas
Em 1986, o presidente Ronald Reagan retomou a lança que Richard Nixon havia levantado alguns anos antes, e a guerra contra as drogas recebeu um impulso multimilionário.
Desde então, aumentaram os lucros dos narcotraficantes e dos grandes bancos que les lavam o dinheiro;
as drogas, mais concentradas, matam o dobro de pessoas que matavam;
cada semana se inaugura uma nova prisão nos Estados Unidos, porque se multiplicam os usuários na nação que mais usuários contém;
Afeganistão, país invadido e ocupado pelos Estados Unidos, passou a abastecer quase toda a heroína que o mundo compra;
e a guerra contra as drogas, que fez da Colômbia uma grande base militar norteamericana, está convertendo o México num enlouquecido matadouro.

10 Motivos para legalizar a Cannabis (Legalize Brasil)

 
CANNABIS é: 

1 - MEDICINAL: Prescrito (vivo na California) à doentes de AIDS, cancer, glaucoma, asma, dores e outros sintomas. No caso do cancer e AIDS a maconha ajuda o paciente à "comer" e dormir" e sentir menos dores!! 

No caso medicinal contra cancer principalmente e aconselhavel usar um "vaporizador" (nao faz fumaca, somente o Vapor da medicina) ou come-la como cookies, etc.

Já viu alguem morrer diretamente consumindo maconha? Eu não! Não existe. Se existir de você fumar +/- 10 Kg o que e impossível, o máximo que ira acontecer, é você ir dormir muito e comer muito bem.


MORTES AMERICANAS CAUSADAS POR DROGAS:

- Tabaco (Cigarro) = 400.000

- Alcool (Bebidas) = 100.000

- Drogas LEGAIS (comprimidos, xaropes, speedy) = 20.000

- Drogas ILEGAIS (ecstasy, etc) = 15.000

- Cafeina = 2.000

- Aspirina = 500

- Marijuana/Weed/Maconha/Cannabis = 0









Source: US government, National Institute on Drug Abuse, Bureau of Mortality Statistics.


IMPORTANTE NOTAR: Cada pessoa é diferente uma da outra e não vou começar a discutir isto.... Então ALGUMAS pessoas realmente, digamos assim, NÃOFUNCIONAN quando consomem maconha, principalmente não conhecendo a Cannabis que está consumindo e sem necessidade. Para elas, não deve-se ser recomendado, isto deperá de alguma consulta a um médico, como fazendos na California. Nem para menores de idades é recomendado! Cada pessoa é diferente da outra, então estas são às normas gerais! Por isto e importante LEGALIZAR para que possamos regulamentar Brasil e assim a Sociedade poderá evoluir e tirar proveito dos frutos desta Planta que usamos como medicina à mais de 8000 anos e que começou o que chamamdos de agricultura. Libertem a Hemp/Cannabis/Canhamo/Maconha/Ganja/Weed.


2 - HEMP/CANNABIS: É um mercado de BILHÕES de dolares. A California vai começar a taxar Cannabis em 2013 quando será votado em Novembro de 2012 a CCHHI2012 Hemp Cannabis Initiative Por enquanto não é taxada de qualquer forma. A crise economica está facilitando. Mas já é hora...já passou na verdade. Ela é só a mais versátil maravilhosa planta do planeta!


O Canadá exporta a semente de Hemp comestivel;
A China e a Europa Oriental exportam a fibra da hemp para vestuario, cordas, etc, etc


3 - BIO-DIESEL: O Oleo da semente de hemp pode e deve ser usado como fonte de energia. A hemp cresce mais rapido que qualquer outra planta e produz oleo da melhor qualidade.


4 - HEMP = ALIMENTO: Oleo de Hemp e riquissimo em Omega3 e 6, Proteinas, Sementes de hemp na salada e uma delicia. Pao de Hemp. Hemp pode salvar pessoas da fome!!!! A Semente é comestivel riquissima em omega-3, omega-6 e proteinas entre outros componentes importantes para a nossa saúde. Pergunte ao seu pássaro se ele não gosta de semente de hemp (canhamo).


5 - USO RECREATIVO: Nao tem coisa mais pacificadora e mais comunitaria que fumar um baseado com amigos ou sozinho antes de dormir. Eu curtindo a natureza e se conetcando com ela.


6 - SALVAR VICIADOS DE CRACK / ALCOOL / ASPIRINAS / XAROPES : Maconha ao contrario de qualquer outra droga, NÃO mata. Voce pode fumar 10KG o que e impossivel e o maximo que vai fazer e dormir e ficar com fome! Alem de ficar na Paz e expandir a mente.


E se voce plantar, você aprenderá a (RE-)conectar-se com a NATUREZA novamente.
A maconha e só uma planta.


7 - VESTUÁRIOS = Veja os videos. Só uso Hemp.... Sabe qual o problema do algodao comparado com a hemp? Algodão para produzir, leva MUITO PESTICIDA, HERBICIDA, FERTILIZANTES e que destroem a Terra e USA MUITA ÁGUA. Não e um "crop" viavel. Além disto, algodão acumula bacterias. A Hemp e MUITO mais ecologicamente correta que algodao e qualquer fibra sintetica como as produzidas pela Dupont (uma das responsaveis pela proibicao do hemp nos EUA que forcou a ONU a impor esta lei anti-drogas no Mundo)


8 - COSMÉTICOS : Varias empresa ja utilizam oleo de hemp em seus produtos. Pra dizer a verdade, eles sao maravilhosos


9 - PRODUÇÃO DE PAPEL: Sim, HEMP é MUITO melhor que Eucalipto., (Salve o Movimento Sem-Terra que sabe disto!!!! Parabéns Sem-Terra... Legalize HEMP, vamos plantar HEMP!!!!)


10 - DESPOLUIÇÃO: Sim, as raízes de hemp pode despoluir lugares quimicamente e inclusive com **radiação atômica**. Procure pesqisar sobre isto! Nossos Rios precisam ser despoluidos! Hemp foi utilizada em Chernobyl para ajudar a despoluição do local




  

E muitos outros motivos....

PENSE!!! LEGALIZE AGORA!!! PLEASE! POR FAVOR!!! JUSTICA!!!!      

Será que vale a pena continuar a gastar dinheiro público com essa guerra?

Um dos efeitos contrários de se reprimir com a guerra o uso de drogas é o grande desperdício de dinheiro público, que na ocasião, poderia estar sendo melhor investido. Paralelamente a isso, traficantes das grandes favelas brasileiras ganham status e poder e a sua vida criminosa passa a servir de referência para muitas crianças da comunidade.  Este ciclo é fortemente observado desde a época de Al Capone, que ainda hoje, deve ser o traficante mais famoso de todos os tempos.
No Brasil, principalmente pela sua atual política de drogas, no qual ainda não se aceita a ideia nem da descriminalização da Maconha, o desvio de verbas e o desperdício das mesmas é abundante, pois ainda sim, os nossos governantes acreditam nesta falha ideia de fazer guerra contra o uso de substâncias classificadas como ilícitas.

Para se ter uma ideia, no último dia 14 deste mês aconteceu a audiência de um dos traficantes mais procurados pela polícia, o tão conhecido e falado pela mídia, Nem da Rocinha. Na ocasião, o traficante se limitou a responder apenas uma pergunta e se denominou como “supervisor de vendas”.

Para ficar em silêncio na maior parte do tempo, Nem teve de ser transportado de avião de Mato Grosso do Sul - onde está preso - sob um forte esquema de segurança. Só em 2011, o País gastou $ 4,1 milhões com 436 transferências de presos que estão nos quatro presídios federais em funcionamento, segundo números do Departamento Penitenciário Nacional (Depen), muitos desses sob acusação de tráfico de drogas.

Este dinheiro investido para sustentar este ciclo, poderia ser aplicado, por exemplo, na própria polícia militar, ou mesmo em escolas e hospitais, que este país tanto precisa. Até o dia 23 de maio deste ano, esse tipo de transporte custou R$ 2 milhões aos cofres públicos, montante que inclui passagens para os detentos e agentes penitenciários federais, além do pagamento de diárias para os servidores. Ao menos três dessas transferências foram realizadas com Nem, apontado como chefe do tráfico de drogas na favela da Rocinha. 
Ele responde a 11 processos por crimes de tráfico de drogas, associação e produção para o tráfico, tráfico internacional, sequestro e cárcere privado, entre outros.

Durante as transferências, os presos são acompanhados por agentes penitenciários federais, que recebem diárias pelo serviço. De janeiro a 23 de maio deste ano, o Depen gastou R$ 993.594,18 com estes servidores. No entanto, o valor é um pouco menor que o R$ 1,2 milhão gasto entre janeiro e maio do ano passado. Nas informações disponíveis nos sites de transparência do Poder Público, não fica claro se está incluído na conta os valores pagos aos policiais federais responsáveis por realizar o translado do preso do aeroporto para o local do julgamento.

Nem da Rocinha possuía um arsenal de pelo menos 150 fuzis, adquiridos por meio da venda de maconha, cocaína e ecstasy, sendo a última a única droga consumida por ele. Com isso, movimentaria cerca de R$ 3 milhões por mês, graças à existência de refinarias de cocaína dentro da favela.

Nova biografia do presidente dos EUA mostra a face maconheira de Obama



Foram divulgados no fim de semana algumas páginas de uma nova biografia sobre o Presidente americano intitulada 'Barack Obama: The Story', de David Maraniss, que contém revelações sobre os seus hábitos na adolescência, principalmente quando ele se empanturrava de maconha. Por incrível que pareça para alguns, mas sim, o presidente dos Estados Unidos, este mesmo ser que ataca com veemência os dispensários da Maconha medicinal – privando vários pacientes de conseguirem o seu remédio – era um grande maconheiro, assim como eu ou você, que está lendo este post.

Embora o livro só esteja disponível a partir de 19 de junho, desde o fim de semana era possível consultar largos trechos do livro pela o vasto mundo cibernético da Web. Nestes relatos da internet, vemos que uma das passagens mais interessantes da obra, afirma que o atual presidente dos Estados Unidos Barack Obama, era um praticante assíduo de basquete e que, quando era estudante e morava no Havaí,  Obama era integrante de um círculo de amigos, que se intitulava Choom Gang , que teria a tradução parecida com “Gang dos fumadores de maconha”.

O atual Presidente, segundo os relatos no livro de Maraniss, era um maconheiro ativo, inventivo e militante. Escreve o autor: "ao contrário de Bill Clinton, que disse nunca ter inalado, o mais importante para Obama era a inalação, que ele próprio designava como 'absorção total' até aos pulmões". Ainda segundo a biografia, se alguém no grupo o não fizesse, era penalizado com a perda de vez ao chegar o seu momento de fumar.

Segundo um membro do grupo Choom Gang, "perder um bom fumo não era tolerado", revela Tom Topolinski, ex-participante do grupo.

Comissão propõe descriminalização das drogas para uso pessoal

Quantidade considerada para uso próprio vai variar dependendo da droga.
Anteprojeto do novo Código Penal vai prever também crime de bullying.

 

Fonte : G1

 

A comissão de juristas constituída para elaborar o anteprojeto do novo Código Penal aprovou nesta segunda-feira (28) a descriminalização de drogas ilícitas para uso pessoal e a criação do crime de bullying, que no texto ficou classificado como "intimidação vexatória".
O anteprojeto do Código Penal deve ser entregue até o final de junho ao Congresso e depois será votado no Senado e na Câmara dos Deputados.
No caso das drogas, o texto aprovado diz que a substância para uso pessoal será assim classificada quando a quantidade apreendida for suficiente para o consumo médio individual por cinco dias, conforme definido pela autoridade administrativa de saúde.
Já o bullying, de acordo com o texto, será configurado quando houver intimidação, constrangimento, ameaça, assédio sexual, ofensa, castigo, agressão ou segregação a criança ou adolescente. A pena é de prisão  de um a quatro anos e multa.
Drogas
De acordo com o relator da comissão, Luiz Carlos Gonçalves, a quantidade de droga tolerada para uso pessoal será definida de acordo com o tipo da substância. Quanto maior o poder destrutivo da droga, menor a quantidade diária a ser consumida.
“A redação diz que depende do fato concreto, se a pessoa for surpreendida no ato da venda não há dúvida, é tráfico. Cada droga terá a sua realidade e discutiremos se haverá definição de drogas de maior potencial lesivo”, explicou.
Na proposta  dos juristas, o tráfico de drogas pode ter pena de cinco a dez anos e multa. Segundo o texto, vai incorrer em crime de tráfico aquele que “importa, exporta, remete, produz, fabrica, adquire, vende, expõe à venda, oferece, tem em depósito, transporta, traz consigo ou guarda, ainda que gratuitamente, sem autorização ou em desacordo com determinação legal ou regulamentar, matéria, insumo ou produto químico destinado à preparação de drogas”.
As pessoas que semeiam, cultivam ou fazem a colheita, sem autorização ou em desacordo com determinação legal ou regulamentar, de plantas que sirvam para matéria-prima para a preparação de drogas também poderão responder por tráfico de drogas.
Haverá descriminalização quando o agente “adquire, guarda, tem em depósito, transporta ou traz consigo drogas para consumo pessoal; semeia, cultiva ou colhe plantas destinadas à preparação de drogas para consumo pessoal”, segundo o texto aprovado.
Para determinar se a droga realmente destinava-se a consumo pessoal, o juiz deverá saber a natureza e a quantidade da substância apreendida, a conduta do infrator, o local e as condições em que ocorreu a apreensão, assim como as circunstâncias sociais e pessoais do consumidor de droga.
Os juristas ainda incluíram um novo artigo ao anteprojeto do Código Penal para criminalizar o uso ostensivo, mesmo que pessoal, de substância entorpecente em locais públicos, nas mediações das escolas ou outros locais de concentração de crianças ou adolescentes ou na presença deles.
Para esse crime, a pena será de “advertência sobre os efeitos das drogas, prestação de serviços à comunidade e/ou medida educativa de comparecimento a programa ou curso educativo”, de acordo com o texto do anteprojeto.
O relator da comissão explicou que a comissão tinha dúvidas sobre a lei atual em vigor que fala sobre drogas.
“Havia uma dúvida até na doutrina, se o uso ou porte da substância entorpecente era criminoso ou não. A comissão deu um passo e descriminalizou o porte para uso, mas com uma exceção importante: se esse uso for ostensivo diante de uma escola, um local de concentração de crianças e adolescentes será crime”, explicou Gonçalves.
De acordo com o texto, o uso compartilhado de droga vai ser penalizado. A pena pode ser de seis meses a um ano de prisão e multa. Já aquele que induzir, instigar ou auxiliar alguém ao uso indevido da droga poderá ter pena de seis meses a dois anos de prisão.
BullyingOs juristas incluíram ao anteprojeto do Código Penal a criminalização do Bullying, com o título de intimidação vexatória. Responderá por este crime aquele que “intimidar, constranger, ameaçar, assediar sexualmente, ofender, castigar, agredir, segregar a criança ou o adolescente, de forma intencional e reiterada, direta ou indiretamente, por qualquer meio, valendo-se de pretensa situação de superioridade, causando sofrimento físico, psicológico ou dano patrimonial”. A pena para este crime, sugerida pela comissão, é de prisão de um a quatro anos e multa.
Também foi incluído ao código artigo que fala sobre a perseguição obsessiva. Para os juristas, o ato de perseguir alguém de forma repetida reiterada ou continuada, ameaçando a integridade física ou psicológica da pessoa, restringindo a capacidade de locomoção ou de qualquer forma invadindo ou perturbando a sua esfera de liberdade ou privacidade pode causar prisão de dois a seis meses e multa.
Intervenção médica sem consentimento
Além disso, a comissão alterou o texto que fala sobre intervenção médica ou cirúrgica sem o consentimento do paciente ou representante legal.
Segundo o relator da comissão, a mudança aconteceu por solicitação de grupos religiosos. Com a alteração, o paciente que for maior de idade e capaz poderá manifestar sua vontade de não se submeter ao tratamento médico.
O texto atual diz que a intervenção médica ou cirúrgica, se justificada por iminente perigo de vida, pode acontecer sem o consentimento do paciente ou representante legal.

 

sábado, 26 de maio de 2012

GAIA


Extraído do Blog : Plantando Consciência
Poucas vezes nos damos conta de quão esquisito é o calendário que usamos e que a maioria do mundo (ainda) usa. Os 365 dias não encaixam direito no movimento dos planetas, e o 29 de fevereiro que existiu esse ano nos lembra esse fato. A cada quatro anos o calendário gregoriano passa por um “ajuste”, e atualmente isso é feito enfiando-se um dia a mais em fevereiro, que geralmente tem só 28 dias. Enquanto os outros alternam entre 30 e 31. Quer dizer… alternam mais ou menos. Julho e Agosto formam uma sequência de dois meses com 31 dias. Isso porque o ego de Cesar Augustus era tão grande quanto o de Júlio César, imperadores romanos. E já que a Júlio César tinha sido dado um mês com 31 dias, a César Augustus também foi concedida a mesma benesse, restando a fevereiro fazer a boa ação de ceder os dias necessários pra que a conta continuasse fechando em 365.
A historinha romana nos lembra que na base de nosso calendário estão disputas sangrentas pelo poder (Julio César foi assassinado) e pouco ou nenhum entusiasmo com os ciclos fundamentais da natureza e do planeta que nos serve não apenas de casa, mas de suporte de vida. Uma mentalidade que ainda perdura, em especial para o 1%, com duras penas para os 100%… É a Terra que nos dá tudo que comemos, a oportunidade de aproveitar energia (e de desperdiçar também) entre inúmeras outras coisas. Mas esse conhecimento, que deveria ser fundamental e ensinado com carinho desde a pré-escola, é marginalizado pela arrogância do homo sapiens que se considera o ponto mais alto da evolução, o ser mais inteligente. Por consequência então segue achando que o tempo deve ser medido em relação a si mesmo e que o planeta deve ser pilhado. Rios devem ser transformados em hidrelétricas, montanhas devem ser explodidas para extração de minério, florestas desmatadas para obtenção de madeira, peixes pescados predatoriamente, tudo em ritmo sempre crescente. Sempre elevando o PIB com o olhar míope que não alcança mais do que um, na melhor das hipóteses dois ciclos políticos, como escancarou a nomeação de um bispo que nunca pescou e não entende nem “acredita” na evolução (como se fosse tópico passivel de crença ou descrença…), como ministro da pesca…
Assim, seguimos todos comemorando datas com feriados de uma origem religiosa fortemente antropocêntrica e patriarcal, no caso a cristã, mesmo que sejamos ateus ou agnósticos, budistas, crentes em Jah ou o que quer que seja. Nos esquecemos de que a passagem do tempo é marcada pelo ciclos naturais, e hoje é uma data propícia pra lembrar disso porque é equinóceo, é fim de verão e começo de outono para uns, fim de inverno e começo de primavera para outros. O planeta mais uma vez re-inicia um ciclo, encerrando outro…
E nesse ano, além de ser bissexto e nos presentear com o dia extra, duas fotos foram publicadas, em 25 de Janeiro e 02 de Fevereiro, que novamente nos remetem à grandiosidade e importância que tem esse planeta, que volta a ser foco das atenções conforme rumamos a um futuro imprevisível com grandes probabilidades de algumas catástrofes acontecerem, dada a nossa desconexão com o mundo natural, com os ciclos da natureza, o movimento dos planetas, o ciclo das estações, os equilíbrios ecológicos e a delicada harmonia da vida. A NASA publicou duas imagens de um mesmo objeto, que se hoje estamos razoavelmente acostumados a ver, outrora nunca havia sido visto, pelo menos não dessa maneira, com a beleza e suavidade de seus 360 graus, em meio a uma infinitude de espaço sem vida que se extende até onde os mais avançados instrumentos científicos chegaram até hoje. Essa grande esfera foi agora fotografada com definição sem precedentes, e nos permite uma vez mais contemplar a beleza do pequeno ponto azul.
A primeira vez que a NASA liberou uma foto do planeta, aliás, foi devido a um insight psicodélico. Numa sociedade obcecada pelo progresso industrial e tecnológico dividida com fervores religiosos antropocêntricos, a idéia de divulgar uma foto do planeta não havia, por incrível que pareça, passado na cabeça de nenhum dos membros dos gigantescos projetos espaciais, distraídos provavelmente pela feroz competição típica da guerra fria… Coube a Stewart Brand, membro da trupe psicodélica conhecida como os Merry Pranksters, ter o insight durante uma sessão de LSD em 1966. Stewart, também criador de um livro épico dos anos 60, o Whole Earth Catalog, percebeu que uma imagem do planeta, visto de fora, inteiro, seria um potente catalizador de uma nova percepção para a humanidade, tão distraída com o progresso industrial e as datas comemorativas de religiões que ha muito esqueceram ou que sequer reconheceram na prática que o mundo é redondo, que gira em torno do sol, que os recursos são finitos e que estamos nessa todos juntos, independente de fronteiras e bandeiras, de crença e de raça. A imagem do planeta foi divulgada somente em 1968 quando astronautas da missão Apollo mandaram a primeira foto colorida de Gaia. No meio tempo, Stewart fez campanha com broches com a pergunta “Por que ainda não vimos uma foto do planeta inteiro?”, que mandva para políticos, membros da ONU, da NASA, da união soviética… Segundo Stewart, a foto “reenquadrou tudo. Pela primeira vez a humanidade se viu de fora. As características do planeta eram um azul e verde vivos – continentes marrons e calotas polares extremamente brilhantes – e uma atmosfera complicada, ativa. Tudo arranjado como uma jóia em meio a imensidões de espaço e vácuo”.
De fato, a imagem do planeta chacoalhou a consciência da humanidade, e pode ser tido com um dos pontos que marcam o nascimento do movimento ecológico, que ganha força e se torna cada vez mais importante, dados os desafios globais que enfrentamos atualmente.
Uma característica comum dos efeitos dos psicodélicos, especialmente quando usados com sabedoria e respeito, junto a um ambiente natural, são insights sobre a maravilha da natureza, a beleza e o mistério em cada pétala, em cada inseto, a complexidade de comportamentos, a interdependência de todos com todos, a percepção simples e súbita, porém profunda e de efeitos duradores, da preciosidade da teia da vida. Não é a toa que os chamam também, entre inúmeros outros nomes, de ecodélicos. Albert Hofmann, pai do LSD, nos diz:

“A humanidade agora enfrenta desafios de enormes proporções; a sobrevivência da nossa espécie e de milhares de formas de vida estão em jogo. Um entendimento sagrado de toda a vida é necessário como base para um comportamento compassivo e para ações criativas que irão servir e sustentar a vida. Espero que no início deste novo milênio, as pessoas usem toda a variedade de práticas espirituais para ajudar a transformar a visão de mundo de nossa fixada cultura materialista. Tal mudança de valores nos levará a uma maior sensação de interconectividade com todas as criaturas de Deus e uma apreciação mais profunda da infinita riqueza e maravilha do cosmos e a igualmente infinita riqueza dos reinos interiores de nosso ser.”

São vários os pioneiros do movimento ecológico que atestaram a importância de seus insights de experiências psicodélicas, e na aproximação da Rio+20 em meio a um governo considerado por muitos o pior para a área ambiental desde a ditadura militar, apreciar de novo a beleza e o poder das imagens de Gaia em alta definição em pleno equinóceo pode, quem sabe, despertar algumas almas para um novo mundo que se levanta.
Ou será que o provérbio Cree será realizado?

“Somente após a última árvore ser cortada.

Somente após o último rio ser envenenado.

Somente após o último peixe ser pescado.

Somente então o homem descobrirá que dinheiro não pode ser comido!!”

Download do Livro [Cannabis sativa L. e Substâncias Canabinóides em Medicina]






Download do Livro :


  • Cannabis sativa L. e Substâncias Canabinóides em Medicina


http://enteogenios.com/wp-content/uploads/2012/05/CannabisFinal.pdf


  • CEBRID
    Centro Brasileido de Informações sobre Drogas Psicotrópicas
    Universidade Federal de São Paulo
    Escola Paulista de Medicina
    Departamnto de Psicobiologia
    Cannabis sativa L. e Substâncias Canabinóides em Medicina
    Editores
    E. A. Carlini
    Eliana Rodrigues
    José Carlos F. Galduróz
    A Cannabis sativa L. (canabis; cannabis; maconha; marijuana) é uma das plantas que maior discussão e dúvidas tem trazido para o ser humano. De um passado de milênios como planta útil para tratamento de diversas afecções humanas, adquire, principalmente no século XX, fama de ser uma droga maldita, erva-do-diabo, sendo até mesmo colocada na Convenção Única de Entorpecentes de 1961 da ONU como uma droga particularmente perigosa juntamente com a heroína.
    Na segunda metade do século XX, a maconha foi merecedora de uma grande número de estudos científicos e muitas descobertas importantes foram feitas. Assim, é isolado da planta o THC, princípio ativo responsável por boa parte de seus efeitos psíquicos. É também descrito que o cérebro humano possui um sistema de receptores que são estimulados pelo THC e, mais, que esses receptores são também estimulados por uma substância produzida pelo nosso próprio cérebro, subtância esta denominada de anandamida. Descobria-se assim que o homem (e outros mamíferos) possui um verdadeiro sistema canabinóide em seu cérebro, com receptores de pelo menos dois tipos (denomidados de CB1 e CB2), a anandamida (existem mais do que uma) e enzimas para sintetizá-las e metabolizá-la.
    Finalmente, as pesquisas científicas comprovam que a maconha, fumada ou ingerida agudamente, traz prejuízos transitórios para os processos cognitivos e psíquicos do ser humano e que o THC, segundo a própria Organização Mundial da Saúde, em seu 33º Relatório Anual de 2003, é substância com baixo potencial de abuso, o que não aconteceria com as plantas in totum. Há ainda a considerar que o THC já está reconhecido como medicamento em vários países, indicado para combater náuseas/vômitos induzidos por agentes anticancerígenos, para combater a caqueixa produzida por doenças consumptivas como câncer e AIDS. Vários autores atribuem também essas propriedades curativas à própria Cannabis, sendo esta também indicada para tratamendo de sintomas de esclerose múltipla. E ainda persiste a discussão intensa e emocional sobre as possíveis propriedades indutoras de dependência da Cannabis.
    Apesar de tanto conhecimento novo adquirido ao longo dos anos, a situação está longe de atingir um consenso.
    De qualquer maneira, o CEBRID acredita que, transcorridos quase meio século da Convenção Única de Entorpecentes – ONU – 1961 e cerca de 30 anos da Lei brasileira nº 6.368, é chegado o momento de se analisar à luz dos conhecimentos adquiridos a atual situação da maconha nessa Convenção da ONU e também nas leis brasileiras. Por essa razão o CRBRID (Centro Brasileido de Informações sobre Drogas Pricotrópicas) juntamente com a SENAD (Secretatia Nacional Antidrogas) promoveram o Simpósio “Cannabis sativa L. e Substâncias Canabinóides em Medicina” nos dias 15 e 16 de abril de 2004, com a participação de cientistas do Brasil, Estados Unidos, Holanda e Reino Unido, para analisar o assunto.”

domingo, 6 de maio de 2012

[DOWNLOAD LIVRO] O FÍSICO, O XAMÃ E O MÍSTICO - Patrick Drouot.


Os caminhos espirituais percorridos no Brasil e no exterior.

O autor francês, Patrick Drouot, diplomado em Física pela Universidade de Columbia, Nova York, passou vinte anos pesquisando os xamãs da Bacia Amozônica, da América do Norte e da Polinésia. O resultado deste trabalho é apresentado no livro O físico, o xamã e o místico, em que as formas de cura e as tradições ritualísticas das tribos indigenas brasileiras ficam bem evidenciadas. Em abril de 1995, Patrick Drouot participou de uma expedição física e espiritual à Amazônia com o intuito de verificar in loco as propriedades das plantas e bebidas psicoativas utilizadas por índios e curandeiros (os xamãs) em cerimônias de cura.

Link : http://www.felu.xpg.com.br/O_Fisico_o_Xama_e_o_Mistico_Patrick%20Drouot.pdf

sábado, 5 de maio de 2012

Gráfica recusa serviço e atrasa 1ª revista sobre maconha no país

ISSO É UM PAÍS DE IGNORANTES MESMO !!!

COMO PODE ?!?!?! CADÊ A LIBERDADE DE EXPRESSÃO QUE TODOS DEFENDEM ???


Fonte : Folha.com

A "semSemente", que é a primeira revista brasileira exclusivamente dedicada ao tema da maconha e tinha lançamento previsto para hoje, na marcha do Rio, teve que adiar sua estreia.
Ela ficaria pronta nesta semana, mas a Stilgraf, que a imprimiria, desistiu anteontem do serviço. "A diretoria ficou com medo de ter alguma penalidade na Justiça", diz o gerente Maurício Nunes.
"Nós não somos um bando de doidões, somos ativistas. Estamos indignados, porque isso atrasou o lançamento", afirma William Lantelme, diretor de arte da revista.

Capa da revista 'semSemente', que teve estreia adiada
 Capa da revista 'semSemente', que teve estreia adiada         
Segundo Lantelme, a gráfica chegou a lhe indicar outra empresa para o trabalho, a fim de remediar a situação.
"A gráfica poderia ser considerada co-autora [de apologia], mas isso seria muito forçado", explicou o criminalista Eduardo Reale, sobre a possibilidade de a gráfica ser processada com a revista, cujo nome faz alusão ao tipo de cultivo que gera uma maconha mais potente.
Para ele, a revista poderia ser acusada de apologia ao crime, já que terá reportagens sobre o cultivo de cânabis.
"Algum juiz pode interpretar absurdamente que trata-se de apologia, ao considerar que a revista incita ao crime de tráfico por meio do cultivo de entorpecente", disse.
A publicação independente lança no país filão inaugurado pela americana "High Times" em 74. Na Argentina, a "THC" circula desde 2006.
Bimensal, a revista terá tiragem de 10 mil exemplares e será vendida a R$ 11,90, em bancas e pela internet, no site semsemente.com.
A primeira edição, que deve ficar pronta na semana que vem, terá reportagens sobre as marchas da maconha, cânabis medicinal, variedades da planta e gastronomia.