Psicodélico: A internet e a comunidade psicodélica

sexta-feira, 3 de outubro de 2008

A internet e a comunidade psicodélica

A internet e a comunidade psicodélica



Como a internet alimenta a comunidade psicodélica global

Neste ano e no próximo, as Nações Unidas irão avaliar a guerra contra as drogas. Desde o seu início em 1998, temos sido bombardeados com estatísticas oficiais sobre o uso das drogas, da dependência, do tráfico, dos preços do mercado negro, dos casos de tribuna, e tantas outras. Mas o que nos diz esta informação? As drogas são más, são caras, são viciantes, as drogas são crime. Estes números obviamente mostram-nos que as drogas, apesar da sua má reputação, fazem inegavelmente parte da sociedade.



Vou falar mais detalhadamente sobre uma categoria de drogas que não é mostrada nas estatísticas fornecidas pelas instituições de controle oficiais, as quais estão mais preocupadas com drogas como a cocaína e a (meta)anfetamina. As drogas da categoria que eu vou descrever têm muito em comum: são 100% naturais, legais na sua maior parte, não criam dependência, permitem uma expansão da consciência que pode descrever-se como uma experiência espiritual, são usadas por um número crescente de jovens, e vendem-se sobretudo na internet. Como posso ter a certeza disto tudo se as estatísticas não fornecem informação sobre o assunto? É simples: a internet demonstra-o.



Drogas legais

Na lista há sementes de plantas com nomes exóticos tais como a trepadeira-elefante e a glória-da-manhã. Podes comprar ingredientes para poções xamãs poderosas tais como a ayahuasca, e outros sacramentos indígenas das profundezas da Amazônia. Há também ervas relaxantes tais como a erva de são joão, a valeriana, a lótus azul, ervas estimulantes como a kratom, e ervas alucinógenas que ganharam recentemente má reputação entre os preocupadíssimos pais americanos, tais como a Salvia divinorum. Existem inúmeros vendedores na internet que oferecem estes produtos psicodélicos legais na sua forma natural, ou seja, plantas e ervas. Ao trabalhar para um destes fornecedores, testemunhei o aumento contínuo das vendas e dos seus clientes habituais desde 1999. Também testemunhei um aumento contínuo do número de concorrentes, e um igual aumento das suas vendas. Alguns deles mantêm um sortido de centenas de produtos psicodélios naturais: outros focam apenas numa droga em moda que seja fácil de obter e de vender.

A grande rede global



Parece que a internet tem exactamente as qualidades essenciais para a formação de uma extensa comunidade psicodélica global. Mais que qualquer outro fenómeno social não mediático, o uso de substâncias psicodélicas é alimentado pelos maiores sucessos da internet: o acesso a informação imparcial, a comunicação interactiva, e o comércio virtual. A informação directa dos utilizadores experientes provou-se essencial para quem deseja experimentar drogas pela primeira vez. O http://www.erowid.org/, com 45.000 documentos, em geral considerado a fonte de informação virtual mais extensiva sobre substâncias psicodélicas, foi um dos primeiros websites que percebeu a importância da informação dada pelos utilizadores. Alguns relatórios de trips podem informar-te melhor sobre as armadilhas e os potenciais de cada droga que a maior parte dos textos educativos estáticos e moralistas. Mas há mais sobre a rede psicodélica que popula densamente a internet: numerosos blogues, fascinantes trabalhos artísticos, notícias sobre pesquisas sobre substâncias psicodélicas ( http://www.maps.org/ ), podcasts com palestras de “gurus” como Terence McKenna e vídeos de, por exemplo, eventos psicodélicos como o festival Burning Man http://www.burningman.com/. Podemos incluir aqui os Fórum de pesquisa e discussão como PlantasEnteógneas e CogumelosMágicos.




A relação entre as substâncias psicodélicas, o comércio e os computadores é já de si interessante. Os desenhos hippies “tripantes” nunca perderam o impacto no desenho gráfico moderno. A gráfica, a animação e a realidade virtual dos computadores foram sempre marcadas por padrões psicodélicos. E embora o festival Burning Man costumasse ser carimbado como “demasiado hippie para mencionar”, é hoje em dia considerado um extremo de criatividade, liberdade e felicidade pelos numerosos trabalhadores do Vale Silicone e pelos executivos da Wall Street que se juntam ao desfile dos artistas cósmicos.

Problemas e desafios das vendas pela internet

A venda de produtos psicodélicos naturais não é tão natural como pode parecer, pelo menos na maioria dos países. Hoje em dia vendem-se e comercializam-se os psicodélicos naturais (e toda a sua parafernália) de acordo com o uso verdadeiro apenas em alguns países. Nos anos 70 costumavam estar disponíveis na obscuridade das lojas de fumos londrinas e no bairro vermelho de Amesterdan. Foi nos princípios dos anos 90 que a Conscious Dreams ( http://www.conscious.nl/ ) abriu a primeira “smart shop” em Amesterdan, uma loja com drogas 100% naturais e legais para adultos. Os comprimidos energéticos sem substâncias químicas e os chamados “cogumelos mágicos”, à venda legalmente pela primeira vez em 1994, foram os maiores sucessos. Espanha, Itália e outros países seguiram-se. A Azarius ( http://www.azarius.net/ ), também holandesa, foi a primeira “smart shop” europeia a vender pela internet. Pessoas do mundo inteiro podem comprar produtos naturais e obter informação sobre o seu uso e história. No entanto, as coisas são um pouco complicadas para estas lojas virtuais que funcionam dentro do sistema legal. São necessárias restrições de envio, mas descobrir o que se pode e não pode enviar para um determinado país ou estado é difícil, devido às leis nacionais pouco claras e frequentemente alteradas. Por exemplo, se é legal vender um extracto de determinada planta, isto aplica-se também às suas sementes, aos seus frutos e à forma sintetizada da sua substância ativa? Para evitar problemas legais, a maioria das lojas não comercializa os seus produtos como bens de consumo. Infelizmente isto não torna as coisas mais seguras para o consumidor, que, consequentemente, não recebe informação sobre a dosagem ou outras instruções sobre os produtos encomendados. Mas a solução para este problema é-nos dada também pela liberdade e neutralidade da internet, onde toda a informação pode ser encontrada com alguns cliques do mouse.

Aplicações sociais tais como fóruns, sites de book marking, comunidades, e redes online mostram-nos que o movimento psicodélico não é uma subcultura separada, mas um movimento perfeitamente integrado na sociedade. Existem os grupos Facebook e MySpace direccionados ao uso de substâncias enteógenas, o Amazon pode ajudar a encontrar bastantes estantes com trabalhos sobre substâncias psicodélicas, e até o teu vizinho pode ter marcado uma sessão de ayahusca durante a sua viagem à América do Sul. Toda a gente pode ser um psiconauta. Embora ainda falemos de um nicho que lida com grande opressão política e religiosa, este está tão vivo e em expansão como a própria internet.

- Jakobien van der Weijden