Psicodélico: Livro em alemão e holandês sobre a ayahuasca

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

Livro em alemão e holandês sobre a ayahuasca



Divulgo aqui a obra de Govert Derix, que permance desconhecida no Brasil, “Ayahuasca. Uma critica da razão psicodélica. Aventura filosófica na região amazônica”. O livro aborda, entre outros, o Centro Espírita Beneficente União do Vegetal (UDV).

Versão em alemão: Derix, Govert. Ayahuasca. Eine Kritik der psychedelischen Vernunft. Philosophisches Abenteuer am Amazonas. Solothurn, Nachtschatten Verlag, 2004.
Versão em holandês: Derix, Govert. Ayahuasca. Een kritiek van de psychedelische rede. Avontuur in het Amazonegebied. Amsterdam/Antwerpia, De Arbeiderspers, 2004.
Resumo:

Desde tempos imemorais os índios da Amazônia bebem o chá ayahuasca. Na nossa era o chá esta ficando mais e mais conhecido também fora da América Latina, não somente como a substância psicodélica ‘par excellence’, mas também como medicamento para tratar vícios e como ‘aliado’ no processo da procura de si. O filosófo Govert Derix bebeu a ayahuasca pela primeira vez em 1990, numa sessão da União do Vegetal, no Núcleo Tucunacá, em Icaraí, Fortaleza. As suas experiências com ayahuasca formam a inspiração da elaboração de uma crítica da filosofia racionalista.

Ayahuasca, uma crítica da razão psicodélica é o relato do seu processo de aprendizagem onde as grandes questões filosóficas sobre a posição do ser humano no universo (”O que posso saber?” “O que deve fazer?”, “O que posso esperar?”) - mais que 200 anos após a Crítica da razão pura de Immanuel Kant - ganham uma nova perspectiva à luz do ‘chá misterioso’. Tentando entender o universo de ayahuasca, o autor recorre também a outras pessoas (dentro e fora do Brasil) para quem a experiência com ayahuasca levou a uma signifiticativa mudança de vida.
Ayahuasca, uma crítica da razão psicodélica, é uma mistura de filosofia, jornalismo, autobiografia e crítica cultural.

Sobre o autor:
Govert Derix nasceu em 1962 nos Países Baixos. Em 1987 obteve o título de Mestre em Filosofia na Universidade Real de Utrecht. É filósofo, escritor, consultor de communicação e diretor de uma empresa de publicidade, a Derix*Hamerslag. Publicou diversos livros sobre as implicações filosóficas da economia de rede, e é especialista em ‘novos tipos de organização de empresas’, em parte inspirado pelas idéias do brasileiro Ricardo Semler. Também trabalha para o projeto ‘Hospital do Futuro’, na cidade Sittard, na Holanda, para qual escreveu três livros, construindo uma base filosófica para este projeto exemplar. Em 1980 visitou pela primeira vez o Brasil e desde 1989 é casado com a artista plástica brasileira Jacqueline Machado de Souza [veja sua exposição atual na Antwerpia, Holanda, aqui], com quem tem dois filhos. Em 1990 conheceu a ayahuasca através do Centro Espírita Beneficente União do Vegetal (UDV), em Fortaleza (CE). Desde então, começou a estudar a ayahuasca e principalmente as implicações filosóficas do estado da ‘burracheira’ [termo usado dentro da UDV para denominar o efeito da ‘hoasca’], sobre a qual escreveu artigos e deu palestras. Em 2004 foi lançado simultaneamente na Holanda e na Alemanha o seu livro Ayahuasca - uma crítica da razão psicodélica, para o qual entrevistou ayahuasqueiros no Brasil e na Holanda. A tese da obra é que a experiência com a ayahuasca pode dar uma nova base para entender e viver as grandes questões da filosofia como a identidade da pessoa, a base da moral (existência de um código universal), o fenômeno do tempo, a relação com o outro, a relação entre ciência, espiritualidade e filosofia, e o impacto de um ‘aliado’ (Mestre de Si) no processo da vida.
Para entrar em contato com o autor: govert@derixhamerslag.nl